Buscar

METAVERSO e ESPORTES, como será nosso futuro?

Schubert Abreu - DATA ESTELAR 29 de Outubro de 2021


Em 4 DE MAIO DE 2020 (STAR WARS DAY) escrevi um texto em meu antigo blog, antes mesmo do primeiro evento teste do Ciclismo Virtual Brasileiro, no qual hoje vejo que continuamos no caminho correto, em direção a galáxias nunca antes exploradas, a fronteira final.


Esta semana fomos supreendidos pelo anúncio do Facebook com a criação de sua nova marca, a META; um conglomerado de aplicativos que tem como objetivo a criação de um METAVERSO.



Em 2018, Steven Spielberg vislumbrou este mundo virtual através do filme JOGADOR Nº 1, com várias referências a cultura pop das décadas de 80 e 90.

Em um mundo virtual, onde potência e watts determinam os campeões, chega a ser irônico que o personagem principal do filme Jogador Número 1 chame Wade Watts.


A realidade virtual retratada acima chegou ao mundo real e mais rápido do que imaginávamos.


Competições de ciclismo virtual já são uma realidade, onde atletas reais competem com "meros mortais" que muitas vezes são competidores a altura.


Hoje , o Ciclismo Virtual Brasileiro tornou-se referência em competições de Ciclismo Virtual no Brasil, sendo o 1º e único circuito da modalidade em terras tupiniquins, assim como homologado como o 1º CAMPEONATO BRASILEIRO DE CICLISMO VIRTUAL pela Confederação Brasileira do Desporto Eletrônico e Confederação Brasileira do Desporto Universitário.


Mas isto significa que as provas reais irão acabar? No ponto de vista deste mero aprendiz de Jedi não, mas sim serão um complemento as modalidades esportivas de ciclismo.


O esporte está em constante evolução e podemos usar mais um filme o qual teve origens nos video games e transportados para a 7ª arte.

Você pode até estar se perguntando, porquê referência ao filme Need for Speed?


Não somente os atletas terão que se adaptar, mas também os organizadores de evento. No filme o ator Michael Keaton (Batman) interpreta como Monarch, um recluso e excêntrico anfitrião de uma secreta competição de supercarros que mantém toda a organização e interação com os pilotos sem sair de casa; ou seja, os organizadores de eventos também terão que se adaptar e criar ferramentas para que se eventos sejam realizados.


Muito também precisa ser aprimorado pelas plataformas virtuais , evitando assim uma competição desleal, mas já vemos muitas destas plataformas e organizadores saindo na frente, assim como o Movimento Olímpico Internacional com sua Olympic Virtual Series.


A REALIDADE AUMENTADA JÁ É UMA REALIDADE, o CICLISMO VIRTUAL BRASILEIRO JÁ ESTÁ NESTA REALIDADE, pois o FUTURO É AGORA.